quinta-feira, 20 de novembro de 2014

A minha veia para criar pão

Olá amigos e amigas!!

Rara é a semana em que não faço uma ou duas vezes pão. Ontem voltei a fazer...ficou uma delícia!!

Baseei-me na receita do pão da Isabel,  mas fiz umas variantes...em vez do óleo quente, coloquei meio pacote de natas que tinha aberto (  para aproveitar), e em vez do açúcar, coloquei 1/4 de lata de  leite condensado que tinha aberto, ( também para aproveitar).
E em vez da saqueta de Férmipan, usei um paralelepípedo de fermento fresco para pão. (25 gramas)....o resto foi igual.







1 ovo grandinho à temperatura ambiente
1 cubo 25 gramas de fermento de padeiro fresco
1/2 copo de leite condensado light morno
1/2 copo de natas morno
1/4 copo leite morno ( usei para tirar o resto das natas do pacote que tinha aberto no frigorífico e do resto da lata de leite condensado)
1/2 colher chá de sal, usei marinho
150 mililitros de água morna
100 gramas de farinha de arroz
100 gramas de amido de milho
400 gramas de farinha ( precisei de um pouco mais para enfarinhar a mesa e o rolo e para desgrudar a massa das mãos. Mas se colocarmos muita a massa fica mais dura,  por isso segui à risca as porções, e o método tal e qual, como a Isabel mostra no vídeo. Para dizer a verdade, vi o vídeo duas vezes e agora sei de cor... ( como referi no post do Pão da Isabel).


 Os ingredientes líquidos



Os ingredientes secos.

Depois é seguir como  coloquei no post do Pão da Isabel. Recomendo a verem o vídeo, o segredo está em sovar a massa por pelo menos 15 minutos e sempre  na mesma direcção, ou seja, estender e dobrar no sentido do nosso corpo, do nosso coração. O  corpo irradia energia, e vai para o que fazemos com carinho e amor.

Untei a forma com azeite e dei uma volta ao pão, assim ele ficou lubrificado e não vai pegar à forma  quando crescer por mais meia  hora.




Aqui o pão já enrolado e a levedar mais meia hora.


O que deu a massa, um pão grande e quatro mais pequenos, que pode cortar ou fazer com o formato que quiser.



Já  levedado e pronto a entrar no forno.





Ficou uma verdadeira delícia!!




Escusado será dizer que foi provado  pelo fim da noite, a acompanhar um chá de limão e mel.





Muito macio e muito agradável!!




Recomendo, façam pão em casa, podem dobrar ou triplicar e depois podem congelar! Recomendo que congelem cortado às fatias e não muitas em cada caixa. as necessárias para fazer uma refeição. Basta colocar um minuto a aquecer...!!

domingo, 9 de novembro de 2014

Bolo de maçã invertido


Estamos em plena época das maçãs e há de todas as cores e fragrâncias, de todos os sabores.
Adoro maçãs.
Fiz há dias este bolo que vou partilhar convosco.

É feito ao contrário, isto é,  unta-se a forma com manteiga, polvilha-se de farinha fina para bolos e depois enche-se a forma com gomos grossos de maçãs. Para a confecção deste bolo usei oito maçãs pequenas a médias.

Ingredientes:
2 ovos
2 chávenas  de farinha fina para bolos ou, como eu o fiz, com farinha de arroz
1/2 chávena de amido de milho( maizena)
1 colher de chá de fermento em pó
1 iogurte natural
125gramas de manteiga
1/2 medida de iogurte em leite meio gordo
 (Pode substituir o iogurte  + o leite, apenas por leite, aí coloca uma chávena e meia de leite) Usei  iogurte porque sempre tem iogurtes no frigorífico chegando ao termino da validade.Também o iogurte  bifidus tem menos lactose e eu evito produtos com glúten e com alta lactose.
1 colher de café ( as mais pequenas) de essência de baunilha ou as sementes de uma vagem de baunilha.
1 chávena e meia de açúcar. O que eu usei foi açúcar de amarelo  mas pode usar branco,  mascavado.e até mel.
Uma pitada de sal
6 a 8 maçãs consoante o tamanho +- 800 gramas
1 colher de chá de canela
canela ou açúcar em pó para polvilhar

Como se faz:

Misture a manteiga amolecida, (deixando um pouco para untar a forma), com as gemas, o açúcar, até formar uma massa clara.
Acrescentar o iogurte, o leite ( meio pote da medida do iogurte), o fermento, a baunilha ( essência ou sementes da vagem), a farinha amido de milho. Misturar todos os ingredientes até  tornar a massa homogénea. Fica grossa.
Bater as claras em castelo, com a pitada de sal..
Envolva na massa anterior até ficar clara e fofa, não exercendo muita força para que o ar das claras não desapareça.

Pode colocar mais ovos, assim o bolo ficará mais alto, mas a receita original é apenas com dois ovos grandes. Pode ainda substituir o leite e o iogurte ou só por leite como já disse ou ainda por dois iogurtes.

Pré-aquecer o forno a 200º C

Pode utilizar o forno, fazendo mais outros pratos, pode fazer um assado e uma pizza, tudo ao mesmo tempo.
Aí a ciência, para economizar energia, é fazer primeiro a pizza, que é mais rápido e o assado, e colocar o bolo para cozer quando a pizza está pronta ( depois não pode abrir a porta do forno) e este bolo leva entre 35 a 40minutos a cozer.


A massa pronta.



 Forma untada e polvilhada



As maçãs que usei, muito doces, mas pequenas, usei oito.



 Primeiro forra-se a forma com as maçãs. Polvilha-se  com canela.


Sobre as maçãs verte-se a massa.

Os produtos que usei. 



O bolo pronto que depois de deixar arrefecer um pouco, vai virar, porque as maçãs estarão do outro lado, assadas e brilhantes.

Cá está o bolo depois de virado.

Pormenores ao perto para ver como fica.





E aqui está, uma bela ideia para os pequenos almoços em família. 
Pode substituir a maçã por pêras ou outra fruta que goste, por exemplo ameixas ou alperces, frutos vermelhos....É também uma óptima ideia para os lanches em família de final de semana.


Espero que goste da sugestão, estava uma delícia.
Bom apetite!

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Cada dia mais fã do meu pão : Pão tipo brioche

Fiz pães brioche e que ficaram divinos!!



Passo a passo:


Ingredientes:
( Pode dobrar a receita ou triplicar, e congelar os pães depois de cozidos,  em caixas herméticas. Pode congelar por um mês.
Ou colocar no frio, (prateleira do frigorífico mais fria) em saco em fechado e por 4 dias.

3 chávenas de farinha tipo 55 sem fermento ( aprox. 600 gramas)
1/2 chávena de óleo ( usei de girassol)
1 ovo médio
1 chávena de leite  morno
2 colheres de sopa de açúcar, uso amarelo
1 colher de chá de sal marinho
1 pacote de Férmipan ou um bloco de fermento de padeiro, fresco, desta vez usei o fermento fresco.
200 ml de água morna


Confecção :

Numa taça, colocar a farinha, com o fermento misturado previamente diluído na água morna, caso use o Férmipan ou o Vahiné, adicione à farinha, açúcar, sal. ( adicionar aqui o sal) e fazer uma cova. Acrescente o ovo batido.

Ir batendo  e acrescentando parte da farinha até a massa deslocar da taça.





Bater com a batedeira, (quem usa), durante pelo menos dez minutos, vá aumentando a velocidade. Quando a massa estiver  elástica, firme , está no ponto. Tapar e deixar levedar por uma hora e vinte ( mais ou menos). Se  sovar à mão, como fiz, perceberá quando a massa estará boa, ela solta-se da taça e já não pega  nas mãos. Aí terá gasto quase toda a farinha. Deixe um pouco para depois colocar sobre a bancada e esticar a massa.

É nesta altura que tira um pedacinho da massa, enrole em bolinha e coloque em copo de água fria. Vai ao fundo, mas passado o tempo de levedar, estará ao cimo da água. 

A massa tem que ter a consistência necessária para ser trabalhada à mão, eu faço tudo à mão, porque não aprecio muito máquinas batedeiras. Só para as claras em castelo,  fazer sumos ou moer a sopa.

Quando a bolinha de massa vier ao de cima de água, estende a massa e faz  pequenos pães com 60 gramas cada ( ficam menores depois da  cozedura). Coloque estes sobre um tabuleiro untado com azeite ou óleo.


Deixar levedar mais meia hora ( ao todo deverá dar uma hora e vinte minutos de tempo de levedação)



Este é o aspecto depois da meia hora mais.

Pré aqueça o forno quando faltar dez minutos para o fim da meia hora de levedação.


Coloque os pães no forno por 20 minutos, em forno em quente a 180ºC e com um tabuleiro de água no fundo, para criar vapor.

Mude a temperatura do forno para 150ºC. 




Passados os vinte minutos, desligue o forno e vire os pães. Deixe aproveitar o resto do calor para ficarem corados dos dois lados. 


E depois, bom apetite.  São super saborosos e muito fáceis de fazer. Em duas  horas e pouco,  amassa e coze e come...;)


Bom apetite!!!

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Doces de fim de verão: compota de abóbora e compota de ameixa

 Olá meus  queridos!
E já chegámos ao final de Setembro. Por aqui na Europa  estamos no início do Outono, felizmente esta semana com bastante sol e sem chuva, depois de um verão  pouco convincente...tal foi a chuva que a semana passada me dediquei aos doces. Fiz vários e uma experiência, geleia de casca de melão.

Doce de abóbora. Quando há, voa, por isso o faço com muito pouco açúcar.





Dois quilos de abóbora, dá cerca de um quilo e pouco de abóbora limpa e como vos disse, coloco apenas uma chávena de açúcar. Geralmente uso açúcar amarelo, desta vez, usei o branco, cristal.


Vai assim ao lume, 40 minutos  a cozer em lume brando, sem qualquer adição de água. A abóbora é parcialmente composta por água, por isso não se coloca água.  O lume brando vai proporcionando  que a água saia da abóbora e ela acaba por se desfazer durante a cozedura.




Aqui podem ver a casca de limão, que uso para cozer com a fruta. Depois de  cozida, retira-se as cascas de limão ou laranja, e coloca-se o doce nos frascos, escaldados com água a ferver.



Como não tem qualquer conservante, é um doce de uso rápido, ou seja, dura cerca de um mês e tem de estar no frigorífico.

A quantidade acima mencionada deu um pouco menos de 800 gramas de doce.  Fechem os frascos e mergulhem os frascos bem fechados numa taça com água a ferver até ficar submerso.
Deixar estar um pedaço, retirar, limpar os frascos sem tocar na rolha e colocar a esfriar. Depois guardar no frio.

Os doces que faço, são geralmente semelhantes, uso  sempre fruta da época.As fotos foram tiradas em dias diferentes, porque fiz mais do que uma vez.No frio, se for para durar mais  do que um mês, adicione como no doce de ameixa, duas folhas ou três de gelatina demolhadas, quando retira o doce do lume. Para que lhe dure mais do que um mês.

Doce de ameixa preta



Dois quilos e meio de ameixas, lavadas


posteriormente descaroçadas




Adicionar apenas uma chávena de açúcar, apenas para ajudar a conservar e não para adoçar



Colocar um pouco de canela e o sumo de um limão.



Lume muito brando, ir mexendo, sem adicionar nenhuma água



Ir mexendo sempre


Quando a fruta estiver  bem cozida ( mais ou menos uma hora), o tempo depende da quantidade e da temperatura de cozedura, em lume brando demora mais.

Quando já borbuilha há mais de dez minutos em lume mínimo,
colocar duas folhas de gelatina a demolhar.







Desligar o lume.



Adicionar as folhas de gelatina demolhadas e sem água, no doce /compota que fizemos.
Coloco a gelatina, para que dure uns dois ou três meses, adoro este doce no inverno.


Mexer muito bem e deixar repousar e arrefecer.


Ter frascos previamente escaldados com água fervente, deixando-os mergulhados por largos minutos.Colocar o doce nos frascos. Rolhar bem e depois  mergulhar de novo os frascos, bem rolhados, em água a ferver e deixar ficar. Para criar vácuo.




O aspecto do doce light é este, leve, agradável, pode comer-se com iogurte, gelado, bolo, semifrio, requeijão, queijo fresco etc. Uso para adicionar ao kéfir ( que é muito azedo par o meu paladar) logo pela manhã.


Espero que goste da sugestão, com  tostas,torradas, ou cream cracker, é óptimo para acompanhar o chá ou outras bebidas.