terça-feira, 23 de setembro de 2014

Brioches e croissants com kéfir

Voltei a fazer  croissants e brioches, mas desta vez, não usei o leite morno. Coloquei a água morna e o kéfir ( sou apenas eu a usar e tinha já u frasco grande de leite fermentado por kéfir que dificilmente iria ter tempo  para consumir)







 Acabado de fazer, ainda fumava...


 Os ingredientes são semelhantes à receita que já tinha publicado, só que como tinha muito kéfr, (usei mais ou menos 165 ml) acrescentei 100 gramas de farinha e dez gramas de  manteiga.


Costumo tomar fruta ou um batido de fruta com kéfir, meia hora depois do tradicional copo de água em jejum. E estou a dar-me muito bem e recomendo, para quem tem vesícula preguiçosa ou intestino preguiçoso.


Brioches com kéfir

Ingredientes:
600 gramas de farinha tipo 55 

 1 colher  de chá  de fermento, usei o de padeiro, um bloco de 25 gramas
165 ml de kéfir
95 ml de água morna
1 ovo grande batido
160 gr de manteiga derretida ( não sei se era a medida exacta, mas corto sempre um pouco a manteiga)
2 colheres de sopa de açúcar, uso amarelo.
1 colher  de café de sal marinho.




Aqui o passo a passo.



Depois de amassar  é que juntei a manteiga amolecida à temperatura ambiente e sovei por 15 minutos até sentir que estava elástica.



Fiz o truque da bolinha de massa num copo de água natural.


E fui registando o evoluir da massa no seu crescimento.




A massa quase no seu tamanho máximo e a bolinha a subir na água. Deixei crescer mais vinte minutos.

 

 Cá está a massa no máximo crescimento, uma hora  e vinte depois de a ter colocado a  levedar.





E a bolinha de massa boiando na água do  copo onde esteve mergulhada. 




Forno pré-aquecido a 180ºC e com tabuleiro de água quente para criar a atmosfera de vapor. Uso um tabuleiro antigo,que já não uso para alimentos)



 Não se esqueça de borrifar os brioches e croissants,  e deixe  ainda crescer mais um pouco enquanto o forno aquece.



Consegue ber as gotas por ter borrifado os brioches.com as mãos molhadas.
 Depois baixe a temperatura do forno  para 150 ºC e no final de 25 minutos estarão assim. Dependendo dos fornos, o meu é de ar forçado.








 A  massa deu para oito  croissants e oito brioches.





 Quando acabei, bebi um chá de tília e um brioche com  doce de abóbora e fui dormir...:)


Bom apetite!!


segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Bolo delicioso com cobertura de chantilly e morangos

Olá,

No último aniversário cá de casa, fiz bolo com chantilly e morangos  de cultura suspensa. Pequenos e deliciosos.






Quis partilhar, porque foi para o aniversário do meu querido.
Estava uma delícia e ele adorou!

Os ingredientes para a cobertura

3 colheres de açúcar em pó e 500 gramas de natas frescas, batidas em chantilly
meio quilo de morangos pequenos e firmes, bem lavados.

Para o bolo:

4 ovos grandes
2 chávenas cheias de açúcar ou o peso dos ovos em açúcar
1 chávena de farinha fina para bolos, se usar o peso dos ovos, é metade do peso dos ovos, em farinha.
1 colher de chá de fermento
1 colher de café de essência de baunilha
As claras  têm de ser batidas em castelo muito firme, do estilo de virar a taça e estas não caírem.
Se quiser um bolo macio, e de tamanho normal, fica por aqui,  se quiser um bolo maior, acrescente meia chávena de óleo ( girassol, amendoim, colza) e complete com água morna, até completar a chávena.
Nunca esqueça de colocar uma pitada de sal marinho, nas claras, antes de bater.
Depois envolva com muito cuidado, a massa, para não fazer as claras perder ar.
A forma deve estar bem untada e polvilhada de farinha fina.
Forno pré-aquecido  e bem quente,  35 a 40 minutos a cozer o bolo, e fazer o teste do palito.
Retirar e deixar esfriar.Partir com faca grande de pão, o bolo em dois e regar com o sumo de uma laranja. Decorar a gosto.
Pode colocar ananás, morangos, pêssego às fatias, amoras, mirtilos,,,rodelas de Kiwi...o que quiser.

Desta vez, foram pequenos morangos de cultura em floreiras suspensas. Uma delícia.

Bom apetite :)


domingo, 14 de setembro de 2014

Almôndegas de peru

Olá, bom dia!

Um prato óptimo para um final de semana em família!
Almôndegas de peru, ou de outra coisa qualquer...

Como já aqui o afirmei, não compro  carnes picadas, escolho a que quero comprar e depois corto-a como fazem os grandes chefes de cozinha...( não é pretensão, é fruto de ver fazer nos muitos programas de TV por exemplo Gordon Ramsay, ou  James Oliver, etc.).




 Corta-se muito bem, requer um pouco de força, mas com uma faca de cozinheiro bem afiada, é  cruzar várias vezes sobre os bifes ou bocados de carne e  fica impecável, sem ser mastigada numa máquina.




 À mistura obtida junta uma clara, ou mesmo um ovo, desde que pequeno.


 Acrescente quatro colheres de pão previamente ralado ( tosta no forno, parte em pedaços, coloca e num saco limpo e passa o rolo da massa ate ficar quase em farinha. Este com farinha de milho, um pão que fiz e ficou mal cozido...antes de saber os truques do fermento e do ponto da massa).


Fica com este aspecto.


Coloca salsa moída o mais fino possível e umas pedras de sal, alho em pó, pimenta preta, gengibre em pó e noz moscada.



Enrola a carne  ( ou soja ou peixe cortados da mesma forma),   em bolinhas. Passa pelo  pão ralado restante.




 À parte faça uma boa salada.


Passe as almôndegas por frigideira anti-aderente, por alguns minutos, indo salteando para cozerem bem. Pode fritar, mas use o mínimo de óleo possível e logo em seguida , coloque-as sobre papel  de cozinha para retirar a gordura.



 À parte, faça um belo arroz branco ou outro à sua escolha e voilà!!


 Bom apetite!


Como ficam por dentro, maravilhosas e fofas.

Nota: Já fiz com carne de borrego, vaca, vitela, peixe ( lombos de pescada), e já fiz com soja demolhada, que parti fininho  par ter a textura da carne.

Com as almôndegas de soja, aconselho a acompanharem com couscous.

sábado, 13 de setembro de 2014

Pão de forma fofo e saboroso

Olá, boa tarde e um bom final de semana!!

Fiz pão de forma de novo, desta vez ainda ficou melhor. Fácil rápido e muito, muito bom!! Agora nunca mais o meu pão ficou encruado ou passado demais. O segredo, foi depois que comecei a ver os  vídeos e de  como podemos através deles, tomar atenção à  textura da massa.

Mas também, o tal truque da bolinha de massa  num copo de agua fria, quando ela vem à tona de água, está a massa pronta, depois  é moldar ou enformar, volta a levedar mais meia hora e volta-se a fazer o teste da bolinha de massa ( opcional, eu faço). Assim, não corremos o risco de a massa ainda não estar pronta para ir ao forno. O que faz toda a diferença.

Pré aquecer o forno e colocar o pão para cozer, mas baixar um pouco a temperatura e deixar um tabuleiro com água, na parte debaixo do forno e borrifar o pão que vai cozer, para ficar tostado. O meu cozeu  em forno pré-aquecido a 180ºC, que baixei para 150ºC e por 40 minutos.

Insuportável no verão, mesmo com o dia nublado que estava, mas que não corria ponta de vento...com o forno a 180ºC...ufa...

Uma delícia. Para a próxima vez, vou fazer dois pães, já que se pode congelar, e quando precisamos é retirar,  se for de forma em fatias já cortadas e torrar...uma delícia.



Ingredientes:

( Pode dobrar a receita ou triplicar, se tiver formas, e congelar os pães depois de cozidos, partidos em fatias, em caixas herméticas. Pode congelar por um mês.
Ou colocar no frio, (prateleira do frigorífico mais fria) em saco em fechado e por 4 dias.

3 chávenas de farinha tipo 55 sem fermento
1/2 chávena de óleo ( usei de girassol)
2 ovos médios
1 chávena de leite  morno
2 colheres de sopa de açúcar
1 colher de chá de sal marinho
Pode adicionar sementes, eu não coloquei, porque era a minha primeira tentativa desta receita.
1 pacote de Férmipan ou um bloco de fermento de padeiro, fresco.

Confecção :

Ligar todos os líquidos, pode fazê-lo no copo misturador ou com a varinha mágica.
Só coloca o sal na farinha  e não junto dos líquidos. O sal, atrasa a fermentação, já o leite morno, acelera.
Numa taça, colocar a farinha, com o fermento misturado em pó, caso use o Férmipan ou o Vahiné, ou esfarelar o bloco de fermento fresco,  ( adicionar aqui o sal) e fazer uma cova.
Ir adicionando a mistura dos líquidos, pouco a pouco, esta deve estar morna.



Bater com a batedeira, durante pelo menos dez minutos, vá aumentando a velocidade. Quando a massa estiver parecida com massa de bolo, elástica, firme mas ainda  mole, está no ponto. Tapar e deixar levedar por uma hora e vinte ( mais ou menos).
É nesta altura que tira um pedacinho da massa, enrole em bolinha e coloque em copo de água fria. Vai ao fundo, mas passado o tempo de levedar, estará ao cimo da água.
Forno pré-aquecido a 180ºC com tabuleiro de água no fundo, e cozer por 25 a 30 minutos. Se colocar o forno a 130º aumente o tempo de cozedura para 45 minutos.


Aqui, o passo a passo. Uso forma forrada com papel vegetal untado com manteiga, porque cheguei à conclusão que fica mais lisa a superfície, quer dos pães, quer dos bolos.










 Espero que gostem...está uma delícia.


Vista por baixo, como podem ver ficou linda.



Vista por cima. Dourada, por ter sido borrifada  e a textura, deve-se ao clima húmido dentro do forno, criado pelo vapor de água do tabuleiro com água.




Bom apetite...:)

Inspirei-me para esta receita com algumas alterações, aqui    :

 https://www.youtube.com/watch?v=D1vI1zS6EOk/
 e aqui :
https://www.youtube.com/watch?v=EqnUJWlVnFw/


Espero que gostem!!

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Estou super fã do meu pão


Olá meus queridos!!  ☁ ☂ Esperemos que o dia não esteja igual ao de ontem...choveu a cântaros!!

Estou a ficar perita  a fazer pão.

Esta semana fiz carcaças, e pão de forma. Estou a comprar menos de metade do pão que habitualmente comprava.


Para a preparação: 

Meio quilo de farinha
2 colheres de azeite
25 gramas de fermento
3 dl de água
1 colher café de sal marinho
farinha para polvilhar
a água deve estar morna para  que  o fermento entre em acção. Se a água estiver quente, o fermento que é composto por uma cultura viva, irá morrer e o pão não leveda.

Fazer um monte com a farinha, mesmo numa taça, colocar os ingredientes secos, misturar, sal, fermento ( usei Fermipan) e água morna, adicionar as duas colheres de azeite.

Amassar muito bem, dobrando a massa com o punho, na direcção do nosso corpo. Amassar por 15 minutos.
A massa deverá ficar elástica e despegar-se facilmente. Se estiver mole, acrescente um pouco mais de farinha, mas apenas um pouquinho. Pode deixar um pouco da farinha para adicionar nesta altura.




Tirar uma bolinha e colocar num copo com água fria. Quando o pedacinho da massa estiver ao de cimo da água, a massa está levedada a massa na taça, tapada com pano limpo e em local ameno, sem correntes de ar.

A massa deverá dobrar de volume.


Deixar levedar. Leva entre uma hora a uma hora e vinte. Dividir a massa em pedaços de 70 gramas, aproximadamente, (vai dar cerca de 50 gramas cada carcaça, depois de cozida), e enrolar em bola. Colocar no tabuleiro e deixar levedar mais 30 minutos. ( Se quiser volte a fazer o teste como copo de água e uma pedacinho da massa enrolada numa pequena bolinha. Quando esta vier ao de cima, a massa está boa. Não esquecer o tabuleiro com água no fundo do forno, faz toda a diferença, o pão fica mais tostado e cresce mais, mais macio, porque é criada uma atmosfera húmida!

No final da segunda vez a levedar, o pão volta a dobrar de tamanho. Molhe uma faca afiada e dê um golpe em cada carcaça, para obter o formato tradicional da carcaça.



Fiz o dobro da massa e aproveitei para fazer um pão grande.


Estava tudo óptimo.


Espero que gostem e experimentem. Eu adoro fazer pão!!

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Bolo de fécula de batata

Olá, e  boa semana!

Fiz  há dias um bolo que pode ser comido por intolerantes ao glúten ou mesmo doentes celíacos.

A  receita encontrei na página de Andreia Santos, Nutricionista.

A imagem é do livro da nutricionista, lançado a meias com o chefe Hélio Loureiro.

.


E eu fiz este bolo, muito agradável  e leve.

Fiz em forma de buraco, porque na ocasião pensei ser melhor, confesso tive algum receio na cozedura, por dentro. Na próxima vez  já o vou fazer  numa  forma redonda, mais pequena.







Fácil de fazer e rápido, um tanto diferente, mas muito bom. Experimentem, não se vão arrepender.

Bom apetite.